domingo, 10 de maio de 2015

Guia de João Pessoa: o que fazer na Paraíba

História da Gaby - Guia de João Pessoa



Na dúvida sobre onde ficar, onde comer e o que fazer em João Pessoa? Depois de uma ótima viagem à cidade brasileira onde o sol nasce primeiro eu posso te garantir que a capital da Paraíba é encantadora. Muito além de Lampião e Maria Bonita, você vai encontrar uma cidade linda, com infraestrutura voltada para o turismo e atividades que ocupariam duas semanas de um calendário de viagem. Acredite, a Paraíba vai surpreender você.

QUANDO IR
Esse negócio que no Nordeste faz sol o tempo inteiro não se aplica bem à Paraíba. Eu fui em abril, período bem ensolarado e quente, mas segundo os guias locais os viajantes podem esperar muita chuva nos meses de junho e julho. O tempo ruim atrapalha quase tudo em João Pessoa, pois a maioria dos passeis exige um sol para curtir as praias ou o entardecer famoso de lá. Entretanto, é em junho que acontece a famosa festa junina de Caruaru, então quem quiser ver esse espetáculo pode se preparar para a chuva.


CHEGANDO E SAINDO DE JOÃO PESSOA
O aeroporto internacional de João Pessoa fica bem longe do “litoral”, onde estão os hotéis. Segundo li e pude ver, o sistema de ônibus é bem confuso, sendo que não há linha direta do aeroporto para a praia. Você terá que passar por um terminal. Sendo assim, estando com malas e cansado da viagem, as opções mais viáveis são taxi e transfer.

De taxi: eu recomendo que você combine com o taxista o valor antes (em média R$ 80,00), pois o aeroporto é distante e no taxímetro você pode se surpreender (negativamente). Se estiver em uma ou duas pessoas o transfer é um ótimo serviço.

De transfer: paguei R$ 35,00 por pessoa por trecho. Comprando antecipado via internet com a Luck Receptivo o city tour saiu na faixa (\o/). Fomos maravilhosamente bem recepcionadas e o motorista ainda fez um “tour”, mostrando por onde estávamos passando e o que era legal de se ver em João Pessoa.

Como o aeroporto era muito longe, me senti confortável com o serviço de transfer, pois não fique preocupada em quanto ia dar o taxi e nem se ia me perder. Além disso, percebi nas minhas buscas que muitos voos para a cidade chegam de madrugada, então esse é o serviço mais seguro.


ONDE FICAR EM JOÃO PESSOA
Diferente de tudo que eu imaginava, Jampa (como é carinhosamente conhecida a cidade) é enorme, mas toda a área turística se concentra no litoral – orla da praia. A orla urbana conta com três praias: Manaíra, Tambaú e Cabo Branco.

Manaíra: é um bairro mais residencial e a praia não é boa. A faixa de areia é muito curta e o bairro conta com apenas alguns restaurantes e praticamente nenhuma vida noturna.

Tambaú: é o centrinho nervoso (rsrsr). Nessa área está a maior concentração de hotéis, restaurantes e quiosques. O calçadão é muito movimentado a noite e a praia é uma delícia durante o dia.

Cabo Branco: de águas mais calmas, é a área ideal para quem quer curtir mais a praia do que qualquer coisa. Fica distante, mas ainda assim oferece uma estrutura de restaurantes durante o dia e um movimento de calçadão durante a noite.

História da Gaby - Praia de Tambaú
Essa é Praia de Tambaú, uma das orlas mais bonitas que já vi.
#fica a dica: escolhi ficar na região de Tambaú e não me arrependi. A praia é bem gostosa e a região é super centralizada. Dá para ir a pé ao Mercado de Artesanato, aos restaurantes de Manaíra e Cabo Branco. Além disso o calçadão a noite é bem movimentado e os quiosques da orla são uma delícia.

Em termos de hotel fiquei no Smart Hotel – a duas quadras do mar. A primeira vista o hotel não era a melhor maravilha, mas ao longo da estadia fui me apaixonando pelo serviço e pela equipe, portanto recomendo para quem for para lá. Fiz uma avaliação bem detalhada no Tripadvisor que você pode acessar AQUI.

História da Gaby - Smart Hotel - João Pessoa
Essa é a "carinha" real do hotel, pois todas as fotos são minhas. Ele é um pouco mais simples do que mostra no site oficial, mas a piscina e o café da manhã valem qualquer coisa.

O QUE FAZER EM JOÃO PESSOA
Se você está buscando praia, praia e praia vai encontrar, mas João Pessoa também oferece outros encantos. Uma coisa muito bacana é que a cidade está entre duas outras capitais – Recife e Natal – e é possível fazer passeios do estilo “bate e volta” para ambas.

Em João Pessoa você terá duas opções de transporte entre as atrações turísticas: alugar um carro ou comprar passeios por agências locais. Isso acontece porque tudo é distante, então ir de ônibus é inviável. No meu caso, como estava com a minha mãe e não queria ficar dirigindo, escolhi as agências – mesmo detestando esse tipo de serviço.

#fica a dica: a quem escolher agência, recomendo o serviço da Luck Receptivo. Fiz todos os passeios com eles e destaco a pontualidade e cordialidade da equipe. Os guias são ótimos e tudo correu muito bem e com muita segurança.



História da Gaby - Luck Receptivo João Pessoa
Essa é a estrutura da Luck Receptivo que esteve com a gente em João Pessoa e Recife. Destaque para o Rocha, guia da foto, que foi um dos melhores que tivemos em nossos passeios.

#furada: fazendo essa escolha não dá para fugir dos horários marcados, pessoas chatas, lugares que você não queria visitar e guias querendo te vender tudo. É um blá blá blá sem fim (em ALTO e bom som dentro dos ônibus).


CITY TOUR JOÃO PESSOA
Esse passeio abrange todos os pontos turísticos de João Pessoa e é uma boa opção para conhecer tudo de uma única vez, pois tem alguns lugares que não valem muito a pena voltar. 

História da Gaby - Ponta do Seixas
Da esquerda para a direita, Ponta do Seixas, coco mais oriental das Américas e Farol de Cabo Branco.

Ponto do Seixas: é o ponto mais oriental das Américas. É só pensar no mapa do Brasil e visualizar aquela pontinha lá no Atlântico. O legal desse ponto é dizer que você esteve lá, pois não tem muito para ver ou fazer. Vale tomar uma água de coco para refrescar – o coco mais oriental das Américas.

Farol do Cabo Branco:  fica do ladinho do Ponto do Seixas e vale só uma fotinho ou duas. O sol é de matar nesse lugar, então o calor está garantido.

Estação do Cabo Branco: o city tour só passa por lá, mas não dá tempo de entrar. Se você quiser conhecer tem que voltar depois ou comprar outro passeio (esse povo de agência é bem espertinho.. rsrsrsr).

História da Gaby - centro histórico João Pessoa
Como dá para ver nas fotos, o centro está todo pichado e sujo. O tal do Hotel Globo, primeira foto acima, está completamente abandonado. Nada de bonito.

Centro histórico de João Pessoa: está muito depredado e não vale o passeio. Verdadeiramente não tem muita coisa para ver. Existe a parte histórica (2 ruas) que está completamente cercado pelo centro novo, sem falar nas pichações. Fiquei decepcionada.



Centro Cultural São Francisco: a igreja é linda, mas não entrei porque estava sem forças e quase morrendo de inanição (já era 13h e não tínhamos almoçado ainda). A entrada custa R$ 2,50 e dá acesso aos salões internos do santuário.

#fica a dica: leve uma garrafinha de água, pois você sobe e desce e quase se mata de tanto calor nesse passeio.

#fica a dica: leve também um protetor solar na bolsa. João Pessoa parece ter 4 sóis (como diria um grande amigo), então você precisa ir renovando ao longo do dia.

#furada: o almoço é MUITO tarde, lá para 13:00 e 13:30, portanto carregue na bolsa algum petisco para não morrer de fome até lá. Vale lembrar que além de ser tarde, você vai chegar no restaurante com mais 40 pessoas, então a fila vai estar tensa.


ENTARDECER NA PRAIA DO JACARÉ
Esse passeio é, sem dúvidas, o melhor de João Pessoa. O pôr do sol na praia fluvial (praia de rio) do Jacaré é de tirar o fôlego. Indo com o passeio você chega lá por volta das 16h e tem tempo de sobra para passear pelo artesanato local e esvaziar a bolsinha – é muita coisa linda. Lá pelas 17:30h o Juracy do Sax sai de algum dos restaurantes a beira rio tocando o Bolero de Ravel. Ele entra em um barquinho e toca até o sol se pôr... é de tirar lágrimas dos olhos.

História da Gaby - entardecer na Praia do Jacaré
Na última foto acima (canto direito) dá para ver a lotação das pessoas para ver o espetáculo do murinho.. é bem concorrido.

#fica a dica: o melhor lugar para ver o espetáculo é dos restaurantes, mas eles cobram couvert artístico. Mas se você perguntar em todos eles vai ver que os valores variam bastante. O guia nos indicou um que cobrava R$ 7,00, mas ficamos em um que cobrou R$ 3,00.

#fica a dica: se mesmo assim você quiser economizar, dá para ver o espetáculo da mureta, mas aviso que é lotação máxima, então tem que parar lá cedo para garantir a vaga.

#fica a dica: na Praia do Jacaré está a melhor feirinha de artesanato de João Pessoa. Os itens são bem diferenciados e o preço é ótimo, então se gostar de algo leve, pois não vai achar em outras lojas.

#furada: na parada final do passeio você encontrará a “Casa Nordeste”, que vende castanhas de todos os tipos. Passeie por lá para conhecer os produtos, mas deixe para comprar na loja da rede que fica em Tambaú mais perto da data final da sua viagem, pois assim os produtos ficam mais fresquinhos.

#furada: existe um passeio feito em catamarã para ver o espetáculo, mas uma amiga que fez disse que a vista não é tão legal quando em terra, pois você não fica contra o sol. Sem falar que ele custa mais R$ 35,00 por pessoa no orçamento.


MERCADO PARAIBANO DE ARTESANATO
O mercado fica no bairro de Tambaú e tem aproximadamente 130 lojas. O lugar é bem legal para passear e você vai encontrar um monte de produtos típicos da região. O artesanato é quase padrão para as lojas, mas garimpando dá para achar coisas diferentes. Vá com tempo para bater perna até cansar.

Lá no Mercado vi uma das lojas que achei mais legal em todas as minhas andanças – a “Intuição Embalagens” (loja 125). Ela vende apenas embalagens “regionalizadas”. Esse item fica super legal para levar as lembrancinhas de viagem, pois você consegue dar a carinha de Jampa em todos os presentes. Fiquei mais que encantada e os amigos amaram as sacolinhas.

Para quem vai levar produtos típicos da região eu indico a lojinha que tem no final do 1º corredor (esqueci o número... snif, snif). São duas moças que ficam na loja e o atendimento é nota 10. As meninas deixam você provar tudo para decidir o que levar. Quase morri de tanto beber licor.

História da Gaby - Mercado Paraibano de Artesanato
No canto esquerdo abaixo estão os produtos do empório típico. Já no canto superior direito as sacolinhas para presente.

#fica a dica: como os produtos são praticamente iguais nas lojas, pesquise preços. Encontramos diferenças de até R$ 20,00 em algumas mercadorias.

#fica a dica: pechinche, principalmente se for pagar em dinheiro. Eles sempre dão descontos.
 

FEIRINHA DE ARTESANATO DE TAMBAÚ
Fica próximo ao hotel Tropical Tambaú (aquela construção oval que você vê em todas as fotos da Praia de Tambaú) e não tem nada que você já não tenha visto no Mercado Paraibano. Aqui, inclusive, os preços são maiores, portanto não achei que valeu a pena.



PRAIAS
Tanto para o norte quanto para o sul da Paraíba há praias maravilhosas. Todas elas dependem de carro ou passeio para o acesso. Como eu não sou muito chegada a ficar um dia inteiro na praia e como os passeios eram bem caros, optei por não fazer nenhum deles.


PICÃOZINHO E PISCINAS NATURAIS
Eu tenho total fobia a peixe e minha mãe detesta barcos, então estão ai outros dois passeios que deixei de fazer. O que vi lá é que existem muitos barcos na praia de Tambaú que oferecem esses roteiros, então vale a boa e velha pesquisa antes de fechar.

#furada: confira bem a qualidade da embarcação e tripulação, pois você vai encarar maré alta e baixa, podendo ficar preso no mar se algo der errado.


PARA ALÉM DE JOÃO PESSOA: RECIFE E OLINDA
Pela proximidade com as capitais, com um dia dá para conhecer (superficialmente) Recife e Natal. Eu optei por Recife, que engloba também uma visita a Olinda. O passeio é bem no estilo city tour, então passa rapidinho pelos pontos turísticos. Como não fiquei na cidade, valeu pelo menos para ver o que há de bonito e decidir que não quero ir a Recife para uma estadia maior – a cidade é bonita, mas não tem tantos atrativos para o tipo de turismo que eu gosto.

História da Gaby - Recife
Da esquerda para a direita, centro histórico do Recife, pavilhão dos bonecos, Praia de Boa Viagem e Casa da Cultura.

Praia de Boa Viagem: alguns minutinhos na orla dos tubarões. Nem dá para molhar os pés, mas vale observar essa belezura de orla.

Casa da Cultura: o que antes era um presídio se tornou um centro de artesanato. Tem umas coisas legais, mas como preços salgados. Dá tempo de correr entre uma loja e outra, mas nada de ficar admirando.

Centro histórico do Recife: esse sim é uma gracinha, com direito a passeio pelo marco zero e pela 1ª sinagoga do Brasil. Fotos boas estão garantidas. Aqui também visitamos o QG dos bonecos do carnaval de Olinda.

#furada: o pavilhão dos bonecos é bem pequeno e o ingresso (R$ 10,00 por pessoa) é abusivo pelo que oferece. Você entra com mais 40 pessoas e fica se espremendo para tirar uma foto.

Olinda: Oh Linda... dizem que foi essa a frase que os descobridores usaram quando viram a cidade pela primeira vez e o nome pegou. Se é verdade ou não, basta saber que a beleza é real. As ladeiras da cidade são encantadoras e do alto da Catedral da Sé o cenário é de tirar o fôlego. O passeio rende excelentes fotos e muita risada ao descer a ladeira do quebra bunda – onda você se questiona como as pessoas fazem isso em multidão no carnaval.

#fica a dica: nesse passeio vá com um calçado confortável e que não escorregue, pois as ladeiras exigem uma aderência de borracha para garantir que você não vá espatifar no chão.

História da Gaby - Olinda

ONDE COMER EM JOÃO PESSOA
Pessoas que amam camarão, preparem-se! João Pessoa é o paraíso desse crustáceo, que é servido em todos os lugares, de toda as formas, com preços INACREDITÁVEIS. Quem não come não precisa ficar triste, pois também existem outras opções – principalmente as comidas típicas do nordeste (que eu praticamente não quis porque AMO camarão).

É o único lugar que eu já vi servir rodízio de camarão. É como um rodízio de pizza, só que com salada de camarão, camarão na moranga, com molho branco, ao alho e óleo, grelhado, a milanesa, crocante e por ai vai. Garantia de sair rolando ao final da noite. Para duas pessoas, R$ 153,00 o jantar.

O nome já diz: são sanduíches servidos em croissant... é verdadeiramente um sonho. Eles servem três tamanhos e um milhão de opções entre doces e salgados. Minha mãe comeu um de frango com bacon e cream cheese e eu fiquei com um de flié com cheddar – o dela deu de 1.000 a 0 no meu. A sobremesa foi de chocolate com morango (\o/\o/\o/). Para duas pessoas (3 sanduíches pequenos), R$ 60,28 o jantar.

#fica a dica: se quiser prato principal e sobremesa, aconselho pedir um pequeno de cada. Apesar de não parecer eles sustentam bastante.

O restaurante é self service e é ótimo para o almoço. Praticamente todos os pratos típicos estão disponíveis, então dá para provar um pouquinho de cada de gastar muito. As sobremesas também são divinas. É indispensável uma visita. Para duas pessoas, média de R$ 51,20.

Giramundo
Esse quiosque fica na praia de Tambaú e serviu um dos melhores camarões que eu já comi na vida. Entretanto, a porção era MINÚSCULA. Eu e a minha mãe costumamos dividir uma oferta do Mc’Donalds e ficamos com fome nessa porção. Para duas pessoas (que passaram fome), R$ 42,75 o jantar.

É uma rede local do tipo Bob’s e foi um dos piores sanduíches que já comi na vida. Pão velho, carne de última qualidade e batata murcha. Definitivamente não recomendo.

História da Gaby - onde comer em João Pessoa
Da esquerda para a direita, Canoa dos Camarões, Croasonho, Tartaruga Burguer, Giramundo (acima), Mangai (abaixo).

COISAS QUE NINGUÉM TE CONTA 
Mesmo lendo e lendo blogs, há certas coisas que ninguém fala sobre a cidade e que surpreendem os turistas.

  • A cidade aparenta ser bem rica, com lindas casas e só lojas de marca nos shoppings. Tudo no comércio (pelo menos na área da praia) é BEM caro para os padrões de onde eu moro, o que dá a entender que o povo lá tem grana.
  • Todo mundo em João Pessoa é muito simpático. Em qualquer lugar que você vá há alguém disposto a ajudar e a responder perguntas. Todo mundo sorri e atende maravilhosamente nas lojas. A simpatia e disponibilidade também estavam presentes na madrugada que precisei ir no UPA – nunca fui tão bem atendida na rede pública de saúde.
  • Lá você pode entrar sem medo nas lojas caras, pois as vendedoras não ficam te olhando de cara feia e avaliando... mesmo de chinelo de dedo ela vai descer a loja toda para você escolher um par de sapados. Até o caixa das Lojas Americanas é agradável.

FALANDO DE CUSTOS
E lá vou eu falar em dinheiro. Tem que ache que o que você gastou em uma viagem é tipo idade: não deve sair por ai falando. Eu já acho que ajuda, então não tenho vergonha de dizer.

Nessa viagem eu aproveitei os pontos do meu cartão de crédito e não paguei pelas passagens, o que tornou o orçamento mais agradável. Além disso, vale considerar para os valores que eu viajei com a minha mãe e nós duas comemos muito pouco. Portanto, os valores dos restaurantes estão uns 20% abaixo do que seria o normal para dois adultos. Todos os custos apresentados referem-se a uma viagem em abril de 2015.


Então é isso, pessoal. Espero que o post tenha sido útil para você que está querendo se aventurar em terras paraibanas.


Um comentário:

  1. Olá, tudo bem? Adorei as dicas! Talvez eu á a João Pessoa no final do ano. Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir

Seja um personagem dessa história, dê o seu pitaco. No final do comentário tem um espaço para inscrição... clica lá para acompanhar a conversa, pois eu sempre respondo quem aparece por aqui. Muito obrigada pela participação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...