quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Comer, Rezar e Amar

Essa semana terminei uma interessante leitura. Trata-se do livro "Comer, rezar e amar" da escritora Elizabeth Gilbert.

Já tinha ouvido falar nesse livro, que se tornou um best seller em todo o mundo, mas confesso que inicialmente a leitura não havia me chamado atenção. Imaginei que fosse mais um daqueles contos de fadas inexistentes, estilo o livro da prostituta do Paulo Coelho, então não me esforcei em procurar pelo livro.

Um dia, despretenciosamente, ele veio parar nas minhas mãos. Já que o esforço havia sido mínimo, iniciei a leitura. Logo de cara já torci o nariz. A capa diz "seja também a heroína de sua própria jornada". Pensei comigo: mais um livro de auto ajuda.

Porém, contrariando todas as minhas expectativas, a leitura é muito interessante. Por ser uma história real, o livro nos traz como as coisas acontecem e como é, de fato, possível que alguém saia do fundo do poço e se regenere, encontrando novamente todas as coisas que tornam a vida boa de se viver.

Ao final da história a Liz (não tem jeito, ficamos íntimos dela ao longo do tempo) conta como ela não foi salva por um príncipe encantado, mas sim salvou a si própria das garras da depressão.

Nessa hora eu concordei muito com ela. Somos nós que temos que nos salvar, dia após dia. Foi com ela que percebi que a felicidade não se busca... simplesmente se encontra e nosso grande esforço é mantê-la. Me identifiquei demais com o livro, pois assim como ela eu sai de uma depressão para descobrir a mim mesma e ser feliz com quem eu sou internamente.

No fim a grande lição do livro foi o que mais me fez torcer o nariz para ele. Apenas na última frase dessa história muito bonita de ler eu vi que "seja também a heroína de sua própria jornada" quer dizer isso mesmo e nem é preciso viajar tanto para se descobrir e encontrar a felicidade que está dentro de nós mesmos

2 comentários:

  1. tá certo que eu gostei muito do livro da prostituta de Paulo coelho....

    ResponderExcluir
  2. Eu falei que era bom, né? A pessoa não me escuta.

    ResponderExcluir

Seja um personagem dessa história, dê o seu pitaco. No final do comentário tem um espaço para inscrição... clica lá para acompanhar a conversa, pois eu sempre respondo quem aparece por aqui. Muito obrigada pela participação.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...